quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

(Áudio) - 87º Podcast do Mises Brasil - Ricardo da Costa (Ago 2013) - Historiador, mestre e doutor com dois pós-doutorados em História Medieval e Filosofia, professor da Universidade

(Áudio) -  Sou fã do professor Ricardo da Costa - Historiador, mestre e doutor com dois pós-doutorados em História Medieval e Filosofia, professor da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Prof. Luis Cavalcante


Publicado em 30/08/2013
          
Historiador, mestre e doutor com dois pós-doutorados em História Medieval e Filosofia, professor da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e um dos principais medievalistas do país, Ricardo da Costa foge ao padrão caricato do docente de esquerda, marxista ou não, que atua em sala de aula como o intelectual orgânico para formar militância - e não ensina a disciplina. Pelo contrário, ao não seguir a cartilha esquerdista e exigir que os alunos leiam e estudem, conquistou antipatias. "Você é mal visto, os professores detratam às escondidas, os alunos passam a te olhar de modo desconfiado e hostil a qualquer interpretação não materialista da história. E os alunos, com as raríssimas e honrosas exceções, não leem nada. Muitos se formam sem ter lido um único livro sequer. E não recebem bem quando um professor cobra leitura. Não há um amor pela leitura".

Embora tenha relatado sua experiência como professor, o ponto central desta entrevista ao Podcast do IMB foi a Idade Média, sua especialidade e, mais especificamente, a concepção de liberdade individual e comercial nesse período tão importante e vilipendiado da História. Acerca da questão econômica e social nos séculos XI e XII, Ricardo proferiu em março deste ano uma ótima palestra disponível aqui e aqui.

Ricardo também explicou qual a forma e dimensão da intervenção do poder político medieval na Economia, a concepção da Igreja, o papel do empreendedor e o que o conhecimento desse período pode nos ensinar sobre as liberdades individuais e econômicas para não incorrermos nos mesmos erros do passado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário